Cuide de seu corpo para que sua alma se sinta bem

28 agosto 2018

Estudo sugere que obesidade pode aumentar transmissibilidade da gripe.



O estudo Obesity Increases the Duration of Influenza A Virus Shedding in Adults, publicado no Journal of Infectious Diseases, lança novos aspectos que relacionam a obesidade à gripe causada pelo vírus influenza A. Além de aumentar o risco de uma pessoa sofrer complicações graves da gripe, incluindo hospitalização e até a morte, o excesso de peso também pode desempenhar um papel em como a gripe se dissemina.
Segundo os pesquisadores da Universidade de Michigan, em Ann Arbor, nos Estados Unidos, em colaboração com o Ministério da Saúde da Nicarágua, com o Sustainable Sciences Institute, na Nicarágua, e com a University of California-Berkeley, adultos obesos infectados com a gripe seguem exalando o vírus por mais tempo do que os não obesos, aumentando potencialmente a chance de infectar outras pessoas.
Para o Dr. Aubree Gordon, da Escola de Saúde Pública da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, esta é a primeira evidência real de que a obesidade pode afetar mais do que apenas a gravidade da doença, interferindo diretamente na transmissão.
Analisando dados de 1.783 pessoas em 320 famílias em Manágua, Nicarágua, pesquisadores investigaram o efeito da obesidade sobre a duração da emissão viral ao longo de três temporadas de influenza, de 2015 a 2017.
No geral, 87 pessoas foram infectadas com influenza A e 58 com influenza B. Dos participantes, foram classificados como obesos 2% das crianças com até quatro anos, 9% das crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos e 42% dos participantes com 18 a 92 anos.
Adultos obesos com sintomas de gripe e influenza, confirmados por laboratório, eliminaram o vírus influenza A por 42% mais do que adultos com gripe que não eram obesos. Entre os indivíduos obesos infectados com gripe que estavam apenas levemente doentes ou sem sintomas, a diferença foi ainda maior: os adultos obesos eliminaram o vírus influenza A por 104% mais tempo do que os não obesos com gripe.
A obesidade também provocou um aumento de cerca de 1,5 dia no tempo em que o vírus influenza A permanecia sendo eliminado de adultos infectados em comparação com adultos não obesos.
A duração da transmissibilidade viral foi determinada por testes de amostras do nariz e da garganta, que detectaram a presença do RNA do vírus influenza, mas não indicaram se os vírus eram infecciosos. Novos estudos, já em curso, ajudarão a determinar se os vírus da gripe exalados por longos períodos por indivíduos obesos são de fato infecciosos e, assim, capazes de transmitir a doença para outras pessoas.
As diferenças observadas na duração do período de emissão dos vírus foram limitadas aos vírus influenza A, um dos tipos de vírus da gripe que podem causar epidemias em humanos. Os pesquisadores não encontraram associação com a obesidade ou com a duração da disseminação do vírus influenza B, que geralmente causa doenças acompanhadas de sintomas menos graves em adultos e não está relacionado a pandemias. A obesidade também não pareceu impactar a duração da transmissibilidade viral entre as crianças incluídas no estudo.
De acordo com os autores do estudo, a obesidade pode alterar a resposta imunológica do organismo e levar à inflamação crônica, que aumenta com a idade, além de dificultar a respiração e aumentar a necessidade de oxigênio. Esses fatores podem ajudar a explicar como a obesidade pode afetar o risco, a gravidade e o potencial de transmissão da gripe.
Obesidade no mundo
O estudo observou que as taxas de obesidade variam em todo o mundo: em 2014, a obesidade entre adultos nos Estados Unidos era de 35,5%, em comparação com 17,4% na Nicarágua. Estes números, no entanto, seguem crescendo, assim como em outras partes do mundo.
Com estes números, as novas descobertas, apoiadas por estudos futuros, sugerem que a obesidade pode desempenhar um papel cada vez mais importante na transmissão da gripe, implicando diretamente em potenciais riscos para a saúde pública, incluindo a disseminação da gripe entre a população.
Assim, é importante desenvolver estratégias efetivas para prevenir e controlar o vírus influenza, especialmente na população com sobrepeso e obesidade, bem como propor estratégias de prevenção específicas. Pesquisadores acreditam que com o desenvolvimento de uma vacina universal contra o influenza, em breve será possível oferecer melhor proteção contra a gripe para toda a população.

Fonte : abeso

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade

Pesquisar assunto no site

Matéria Recente

8 mitos e verdades sobre a alimentação vegetariana!